• Daniel Conde

Como criar uma linha realista no Trainz? Dicas iniciais!

Queres construir uma linha realista no Trainz? Boa! Está dado o primeiro passo para esse projecto.


Estás preparado para os seguintes? Aqui ficam algumas dicas essenciais no que toca a utilizar o Trainz para recriar uma linha realista.


Dica #1 - Escolhe uma linha que já conheças.


Isso mesmo. Para deixar esta dica bem clara, é muito diferente querer fazer uma linha húngara quando nunca se viajou nela, de querer fazer uma linha portuguesa na qual viajámos inúmeras vezes, ou que já visitámos nem que fosse por outros meios.


Portanto escolhe uma linha - ou troço de linha - com a qual já estejas familiarizado. Já terás uma maior sensibilidade sobre uma miríade de informações que serão preciosas mais à frente, como o tipo de terreno, pendentes, aspecto das estações, obras de arte, localidades próximas, etc.


Eu e o Filipe Esperança, no "I Entrar na Linha" (MCLT), a restaurar o PK 59 da Linha do Tua.

Dica #2 - Reunir informações


Pode parecer trabalho chato, mas vai ser muito enriquecedor. Para além de fotografias e vídeos que tenhamos dessa linha ou troço de linha, é importantíssimo reunir todas as imagens e vídeos que possamos, seja de que fonte for - Internet, livros, arquivos pessoais, etc.


Ferramentas geográficas como o Google Earth são indispensáveis, pois não apenas nos dão uma visão bem detalhada da envolvente da linha, como podem ser utilizados para a construção da linha e relevo no Trainz, através de programas como o TransDEM. Com o Google Earth é possível ainda descobrir imagens, e utilizar o Street View - a própria Linha do Douro está toda ela carregada com Street View no Google Earth!


É também necessário reunir informações mais técnicas sobre a própria via; falo por exemplo do tipo de super estrutura da linha (tem travessas em madeira, ou outro tipo?), as pendentes (através do Perfil Longitudinal, que pode ser requisitado aos arquivos da CP), e, por exemplo, a sinalização e as velocidades praticadas.


Através da análise do Perfil Longitudinal da Linha do Tua, é necessário construir o quadro das pendentes.

Dica #3 - Desenhar o caminho para exportar


Apesar de alguns passos resultarem da nossa própria aprendizagem ao longo da edição, um deles é absolutamente essencial na fase inicial, ainda antes de passarmos para o Surveyor. É que, sem linha no Surveyor, não há edição...


O programa que utilizei para criar as minhas linhas realistas no Trainz é o TransDEM. Esta ferramenta cria todo o terreno circundante, morfologicamente falando, ou seja, simula todos os montes e vales e planícies e etc, tal como na realidade. Desde que o Trainz passou a disponibilizar um baseboard com quadrículas de 5 x 5 metros, ao invés dos originais 10 x 10 metros, esta edição ficou ainda mais realista.


Mas para que o TransDEM perceba exactamente que baseboards criar, é preciso indicar-lhe onde se situa a linha ou troço que pretendemos criar. Para isso, o processo mais acessível (não necessariamente o mais fácil) é desenharmos todo o trajecto que pretendemos criar no Google Earth.


Basicamente, deve-se abrir o Google Earth, escolher a ferramenta "adicionar caminho", e ir desenhando um caminho em cima do trajecto pretendido. No final, gravar, para depois usar no TransDEM, e ter no final a nossa linha pronta a editar no Surveyor do Trainz.


Um exemplo simples: os 13 km do Ramal de Montemor, desenhados manualmente como caminho no Google Earth.

Saudações trainzeiras!

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo