• Daniel Conde

Trasmontanices #1 - Bom dia! Boa tarde! Boa noite!

Trás-os-Montes não é apelidado à toa de "Reino Maravilhoso", o epíteto criado por um filho da terra, de seu nome Adolfo Correia da Rocha, mais conhecido por Miguel Torga. Neste território ancestral, perdem-se de vista as raízes destas gentes, nas brumas longínquas de um tempo onde os Celtas viviam ainda longe das asas douradas da águia romana. E nos tempos contemporâneos, corremos o risco dos preconceitos mesquinhos e da massificação dos média levarem consigo patrimónios milenares que são o cartão de identidade de um povo: o Povo Trasmontano.


É por isso que lanço aqui esta nova rubrica, que já vinha a maturar comigo próprio há algum tempo. Trasmontanices são coisas próprias da terra trasmontana, os seus usos e costumes, patrimónios materiais e imateriais. E que melhor forma de começar esta demanda pela cultura de Trás-os-Montes, do que passarmos por aquilo que é um gesto comum do dia a dia, um gesto de comunhão com os outros e concórdia com a nossa condição humana: dar os bons dias!


Vinhais no século XVI, pela pena de Duarte de Armas (Livro das Fortalezas)
Vinhais no século XVI, pela pena de Duarte de Armas (Livro das Fortalezas)

Como se diz então um Bom dia!, à trasmontana? Bom, para ser fiel à raiz, a coisa passa-se assim:


- Deus mos dê bôs dias!

- Bôs dias mos dêa Deus!


(- Deus nos dê bons dias!

- Bons dias nos dê Deus!)


Aprendi isto ainda com a minha bisavó, mãe da minha avó materna, com quem tive o gosto e privilégio de conviver muitos anos. Senhora de uma memória prodigiosa, que ainda se lembrava de ter visto membros da Carbonária a festejar na eira dos condes, em Vilar de Ossos, a captura de alguns monárquicos no final da infrutífera primeira Incursão Monárquica, que grassou pelas terras de Vinhais... em 1911!!!


No caso do "boa tarde" já não existe esta riqueza deliciosa do "bom dia". Ainda assim, é comum nas terras de Vinhais utilizar-se um Mim boas tardes! (Muito boas tardes!), ou num tom mais jocoso/amistoso o diminutivo Boas tardanhas! (Boas tardinhas!).


Já à noite, a saudação passa por um Boas noutes! (Boas noites!), a qual serve tanto como uma saudação - ao entrar em casa para cumprimentar quem lá esteja - como uma despedida - ao sair de casa, ou para ir para a cama.


Não ficaremos por aqui: há muito mais chão e céu a percorrer em Trás-os-Montes. Até à próxima trasmontanice!

21 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo